Natural e artificial em conflito na nova individual de Pedro Motta

(Belo Horizonte, MG)

Indicado ao Prêmio PIPA em 2012 e 2013, o fotógrafo Pedro Motta inaugura hoje “Estado de Natureza” na CâmeraSete – Casa de Fotografia de Minas Gerais. Com curadoria do colombiano José Rocca, a exposição fica em cartaz até janeiro do ano que vem e apresenta, no total, mais de setenta imagens divididas em oito séries. Entre elas, “Falência #2”, concebida exclusivamente para a mostra.

Uma das imagens da série "Flora Negra", de Pedro Motta, resultado de uma residência do artista em Honda, Colômbia que integra a exposição

Uma das imagens da série “Flora Negra”, resultado de uma residência em Honda, Colômbia e integrante da exposição

O mote central da exposição são as relações entre homem e natureza, por vezes velha conhecida dos mineiros (como o Rio das Mortes, cenário da série “Sumidouro”, ou a Gruta da Lapinha, evocada em “Frutos Estranhos”) e, por vezes, estrangeira. É o caso das paisagens de “Naufrágio Calado”, fotografadas na Bretanha, e de “Flora Negra”, obra desenvolvida ao longo de uma residência em Honda, Colômbia, no ano passado.

Também as técnicas de Motta mesclam natural e artificial, inserindo elementos estranhos, sejam digitais ou orgânicos – em “Falência #2”, o fotógrafo coloca um filete de terra na base da imagem – nas paisagens. “Flora Negra”, por exemplo, traz o ator Klaus Kinski (na pele dos personagens Fitzcarraldo, do filme homônimo, e Aguirre, de Aguirre: a cólera dos deuses) mergulhando sobre as paisagens de Honda e dos arredores de Bogotá sob a forma de um desenho em grafite. Outras intervenções incluem a adição de buracos (“Sumidouro”) e barcos abandonados (“Naufrágio Calado”) às fotografias originais, buscando, de acordo com o artista, sublimar os limites entre realidade e imaginação. Em uma entrevista ao portal UAI, ele sintetiza: “Sempre trabalhei criando estranhamentos que deixam dúvida se o que está na imagem é ficção ou não.”

Apesar da melancolia que impregna suas obras (Motta a credita à sua origem mineira), o fotógrafo não enxerga nelas um ativismo ecológico. Na mesma entrevista, conta que as considera apenas uma conversa com a manipulação de escalas típica da pintura e escultura: “É a força humana contra a força da natureza”.

 

“Estado de Natureza”, de Pedro Motta
Curadoria de José Rocca
De 17 de novembro a 15 de janeiro de 2017

CâmeraSete – Casa de Fotografia de Minas Gerais
Av. Afonso Pena, 737 – Centro
Funcionamento: ter – sáb, 9h30 às 21h
T: (31) 3236-7400



O PIPA respeita a liberdade de expressão, e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site odem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos.
Copyright © Instituto PIPA