Anúncio do vencedor do PIPA 2016 | Quarta-feira, 9 de novembro

Está em exibição até 13 de novembro, no MAM-Rio, a mostra do Prêmio PIPA 2016, com obras dos quatro artistas finalistas da sétima edição: Clara Ianni, Gustavo Speridião, Luiza Baldan e Paulo Nazareth.

Os artistas concorrem em duas categorias:
– PIPA: onde quem define o vencedor é o Júri de Premiação, o valor do Prêmio é de R$130 mil (sendo parte utilizada para financiar a participação do vencedor no programa de residência artística da Residency Unlimited, em Nova York, por três meses), e cujo anúncio do vencedor acontece na próxima quarta, dia 9 de novembro.
– PIPA Voto Popular Exposição: onde quem define o vencedor é o público que visita a mostra no MAM-Rio e vota no seu artista favorito, o valor do prêmio é de R$24 mil, e cuja votação se encerrou no dia 30º de outubro. O anúncio do vencedor aconteceu no dia 2 de novembro, assista aqui.

São quatro artistas com poéticas contundentes, diversificadas e de alta intensidade política. Em um país e um mundo convulsionados por crises e desafios político ­civilizatórios, o que se espera da arte, no mínimo, é compromisso sem adesão com o momento.”, comenta o curador do Instituto PIPA, Luiz Camillo Osorio.

Assista ao vídeo com os bastidores da montagem da mostra PIPA 2016, com a participação dos artistas contando um pouco sobre o que estão expondo:

https://www.youtube.com/watch?v=yXT72LbsJsY

Sobre os finalistas e os trabalhos na mostra:

Clara Ianni, cuja pesquisa de doutorado em Artes Visuais na USP é focada na relação entre arte e política, mostra o vídeo-instalação “Círculo” (2014-2016).

“Círculo” apresenta um documentário em vídeo de uma manifestação contra a Copa do Mundo de Futebol, pelas ruas de São Paulo em 2014, onde a polícia usa a técnica Caldeirão de Hamburgo, onde com formação circular confina a multidão em determinada área. “A ideia do trabalho é fazer-nos pensar sobre a forma do círculo e suas diversas aplicações”, diz Clara. A artista aplica um círculo em vinil no chão do museu, onde o espectador assiste o filme e pode se sentir confinado dentro de um caldeirão. A artista também faz a analogia do círculo de Hamburgo com as fitas nos museus que indicam a distância mínima de aproximação para ver uma obra de arte.

Obra de Clara Ianni

Gustavo Speridião é, provavelmente, o artista em que a pegada de política é mais explícita. Ele exibe a pinturainstalação “Fora” (2013), uma tela de 6,5 metros grampeada na parede, onde usa as palavras para ocupar o plano pictórico – tal qual uma bandeira, uma manifestação política ou um caderno de anotações políticas. Speridião destaca na pintura: “As lágrimas, sangue, suor e nanquim – falando do processo de trabalho, o material é basicamente isso.

ja-094437

Todo mundo tem um perfil muito político. Talvez na obra de Baldan é onde essa abordagem é menos óbvia, mas pode ser encontrado na forma como ela explora a arquitetura“, diz Osorio.

Luiza Baldan apresenta a videoinstalação “Perabé” (2014-2015) uma narrativa contemporânea da relação da artista com as cidades que ela viveu. “São Paulo foi a primeira cidade onde eu morei, por um curto período de tempo, que não está na costa e eu percebi o quanto eu sinto falta do mar na minha relação com a cidade.” A obra consiste em uma coleção de fotografias e um texto escrito pelo artista, lida por quatro vozes diferentes através de quatro canais de som separados.

ja-094453

De acordo com Luiza, “O trabalho de Paulo Nazareth tem uma pegada completamente diferente do meu, mas tem essa coisa do deslocamento da errância. Você de alguma forma ir construindo coisas que você coleta e vai encontrando ao longo do caminho“.

Paulo Nazareth – que tem viajado longas distâncias a pé, da aldeia de Caiová para Nova York, de Miami a Mumbai, entre vários destinos curiosos – apresenta a série “Produtos de Genocídio” (2015-2016), um instalação composta de objetos “já feitos”, serigrafias, gravuras e um vídeo. A série reflete sobre o extermínio das populações indígenas e a apropriação de elementos de sua cultura como bens de consumo.

Nazareth observa: “Eu não sei como nossas obras vão dialogar, ao mesmo tempo que estamos dialogando por estarmos vivendo o mesmo no tempo. Cada um de nós com sua história e sua maneira de encarar esse momento histórico atual”.

ja-094486


Prêmio PIPA 2016 – com Clara Ianni, Gustavo Speridião, Luiza Baldan e Paulo Nazareth.
Em cartaz até 13 de novembro

Museu de Arte Moderna Rio de Janeiro
Av Infante Dom Henrique 85, Parque do Flamengo 20021-140 Rio de Janeiro RJ Brasil.
T +55 (21) 3883 5600
www.mamrio.org.br facebook/museudeartemodernarj
twitter/mam_rio

Horários
ter – sex 12h – 18h | sáb, dom e feriados 12h – 19h
A bilheteria fecha 30 min antes do término do horário de visitação.

Ingressos
Exposições R$14,00 (inclui uma sessão gratuita na cinemateca válida no dia da emissão do ingresso).
Maiores de 60 anos e estudantes maiores de 12 anos R$7,00. Domingos ingresso família até 5 pessoas R$12,00.
Cinemateca R$6,00
Maiores de 60 anos e estudantes maiores de 12 anos R$3,00. GRATUIDADES Amigos do l, crianças até 12 anos e funcionários das empresas mantenedoras e parceiras (mediante apresentação de crachá, com direito a um acompanhante) e quartas após às 15h.

Como chegar Referência: O Museu de Arte Moderna está localizado entre o Monumento aos Pracinhas e o Aeroporto Santos Dumont

Ônibus (linhas e pontos)
Da Zona Sul >> Via Parque do Flamengo: 472 (Leme), 438(Leblon),154 (Ipanema), 401 (Flamengo), 422 (Cosme Velho). Ponto na Avenida Beira Mar em frente à passarela.
Via Aterro: 121, 125 e 127 (Copacabana). Ponto na Avenida Presidente Antônio Carlos em frente ao Consulado da França.
Da Zona Norte >> 422 (Tijuca), 472 (São Cristóvão), 438 (Vila Isabel),401 (Rio Comprido). Ponto na Avenida Presidente Wilson, em frente à Academia Brasileira de Letras.
Da Zona Oeste >> Frescão Taquara-Castelo (via Zona Sul). Ponto mais próximo localiza-se na Avenida Presidente Wilson, em frente à Academia Brasileira de Letras.
Metrô: Estação Cinelândia

Acesso a deficientes Cadeiras de rodas, rampas de acesso até os salões de exposição, elevadores e sanitários especiais.

Estacionamento Pago no local 7h – 22h

Para mais informações acesse http://mamrio.org.br.



Copyright © Instituto PIPA