“Próprio-Impróprio”, exposição elabora a política da imagem

(São Paulo, SP)

Próprio-impróprio. O termo, criado pelo escritor francês Maurice Blanchot para designar a utopia na relação entre comunismo e comunidade, é também título da exposição que a Galeria Leme inaugura hoje, dia 25 de outubro, às 19h. Curada pelo crítico Leonardo Araujo, ela marca a entrada de dois novos artistas na galeria: Frederico Filippi, indicado ao Prêmio PIPA 2015, e Raphael Escobar.

Assim, próprio e impróprio transformam-se, ao mesmo tempo, em contexto e conteúdo das obras dos dois artistas. Filippi, apresentando cinco trabalhos de diferentes formatos – Deriva, Queima, 3o. Demarcação, Ultradistância e Propriedade da União –, discute principalmente a interferência humana na natureza. Já Escobar volta-se ao universo urbano em dois grupos de trabalhos. O primeiro, Town&Country, reproduz, em cinco pedaços de parede de um antigo hospital paulista, símbolos proibidos aos presos nas cadeias. O segundo, Circulação, reproduz em backlight logotipos dos serviços oferecidos durante a ocupação do antigo Hotel Cambridge, em São Paulo, onde o artista encerrou há pouco uma residência artística.

Dessa maneira, afirmação e negação servem de base para trabalhos que, segundo o curador, propõe a arte contemporânea como reiteração da vida e da imaginação. Ou, em suas próprias palavras, “a exposição ergue-se com a postura de como a imagem comunica o que nela se faz urgente, sua potência de imaginação”.

“Próprio-Impróprio”, com Frederico Filippi e Raphael Escobar.
Curadoria de Leonardo Araujo.

Abertura: 25 de outubro, às 19h

Galeria Leme
Av. Valdemar Ferreira, 130
Funcionamento: ter – sex, 10 às 19h; sáb, 10 às 17h
T: (11) 3093.8184
info@galerialeme.com



Copyright © Instituto PIPA