“O Sol, o jacaré albino e outras mutações” reúne pinturas em diferentes formatos como associações livres de iconografia criada pelo artista

(Rio de Janeiro, RJ)

A Galeria Athena Contemporânea apresenta, entre os dias 28 de abril e 28 de maio, a individual de Frederico Filippi: “O Sol, o jacaré albino e outras mutações”.

Frederico Filippi - Demarcação

A exposição reúne pinturas em formatos variados como associações livres de uma iconografia criada pelo artista através de representações abstratas de mudanças invisíveis em objetos visíveis. “São essas conexões invisíveis que o seu trabalho contém, mas não apresenta. Ele é em si mesmo a invisibilidade das relações inexplicáveis, da cultura e da natureza se amalgamarem ao ponto de nos aproximarmos juntos de certo entendimento que não se esclarece, mas iluminam a proximidade que podemos ter da incompreensão”.

Com texto de Leonardo Araújo uma relação metalinguística se estabelece com o universo das suas mutações onde um jacaré albino de cinco patas contrapõe-se à definição idealizada de mutação em uma prática experimental da observação destas mudanças vislumbradas pela sua criação mental. Esta observação atenta da mudança figura-se em um devaneio pictórico que traz à superfície as temáticas presentes em sua obra, como as relações entre cultura e natureza e a América do sul em um mapa do Amazonas recortado pelas dimensões de um facão.

“O que importa é que não há explicativa, não há justificativa alguma que possa dar conta de toda essa inviabilidade que nos é tão aparente. A mutação, o hibridismo, a contradição harmônica e a combinação aleatória que nos permite ser (e não ver), em seu trabalho o erro da compreensão, de perceber as relações entre cultura e natureza de modo silencioso, sem reação alguma, é a melhor ação para o que nos já está dado, oferecido sem pedido, nem desejo algum. Que a representatividade mata toda a inventividade, sabemos, que a nova metáfora do mundo é a literalidade dos acontecimentos em exagero, tanto em quantidade como em realidade, estamos percebendo, mas que entender como tudo procede invisivelmente não é necessariamente fazer cambiar las cosas, mas mantê-las em seu espetáculo mais lindo. Apenas reconhece-las”.

Veja algumas obras do artista:

“O Sol, o jacaré albino e outras mutações”, individual de Frederico Filippi
Abertura: 28 de abril, às 19h até às 22h
Em cartaz até 28 de maio

Galeria Athena Contemporânea
Av. Atlântica, 4.240 – 210 e 211 | Copacabana – Rio de Janeiro, RJ
Funcionamento: Segunda a sexta – 11h – 19h | Sábado – 12h -18h
T: +55 21 2513-0703
contato@athenacontemporanea.com



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA