Exposição-experimento “O Tempo da Duração” apresenta trabalhos de oito artistas em ocupação

(Rio de Janeiro, RJ)

A exposição-experimento “O Tempo da Duração”, com curadoria e idealização de Manoela Medeiros e Romain Dumesnil, acontece entre 10 e 13 de setembro com a ocupação de um casarão no centro do Rio e a participação de oito artistas, como Maria Laet, Matheus Rocha Pitta, Pontogor, Rodrigo Braga, Sofia Borges e Yuri Firmeza, e convidados especiais.

11953649_847653755342105_2084061837587801166_o

Partindo do trabalho do escritor e filosofo francês Albert Camus e através de obras que dialo- gam com a noção de mineralidade, ‘O Tempo da Duração’ propõe uma reflexão sobre questões da experiência humana e do seu lugar no mundo.
“Obviamente, destruir a pedra não é possível. Apenas a mudamos de lugar. De qualquer for- ma,ela durará mais que os homens que se servem dela. Por enquanto, ela apoia a vontade de ação deles. Isso sem duvida é inutil. Mas mudar as coisas de lugar, é o trabalho dos homens: tem que escolher fazer isso ou nada. […] Daqui a cem anos, ou seja amanhã, terá que recome- çar.”
(Albert Camus, L’été, ‘Le Minotaure’, 1939)

Ao contemplar o deserto de Oran e as suas precárias cidades de pedra, testemunhas da de- sesperada luta do homem para permanecer nesse horizonte primordial, Camus se depara com a semelhança da condição humana à do absurdo herói grego sentenciado a carregar sua pedra.
Companheiro milenar, a pedra impassivelmente assiste ao drama da humanidade. Nela en- contra-se um adversário intratável que remete a impermanência da vida e a vacuidade de qualquer desejo de supremacia sobre a natureza, mas também um camarada de destino junto condenado a seguir sua trajetória kafkiana, lançada no vazio, até em seu torno virar terra, areia e poeira..

Neste espelho brutal que é a pedra, encontra-se a intuição fundamental da duração de todo.
A memória do instante eterno. Paradoxo cruel da necessidade absoluta de existir para continu- ar e continuar para existir.
Da rocha precisa-se fazer uma irmã e uma amiga, pois “se a pedra não pode mais para nos que o coração humano, ela pode ao menos tanto”

“O Tempo da Duração”, com Maria Laet, Matheus Rocha Pitta, Pontogor, Rodrigo Braga, Sofia Borges e Yuri Firmeza
Curadoria de Manoela Medeiros e Romain Dumesnil
Abertura: 10 de setembro, às 18h
Rua do Rezende, 50 – Centro
Entrada Franca

Para mais informações, clique aqui.



O PIPA respeita a liberdade de expressão, e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site odem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos.
Copyright © Instituto PIPA