Daily Archives: 9 de junho de 2015

0

Virginia de Medeiros fala com exclusividade ao PIPA

O trabalho da artista Virginia de Medeiros converge de estratégias documentais para ir além do testemunho, questionando os limites entre realidade e ficção. Indicada ao PIPA por dois anos consecutivos, a artista concede agora sua segunda entrevista exclusiva ao Prêmio. Nela Medeiros fala de Sergio e Simone, obra produzida em 2014 que apresentou na 31ª Bienal de São Paulo e foi premiada no 18º Festival de Arte Contemporânea Videobrasil. “É um filme que contrapões duas identidades de uma mesma pessoa: Simone uma travesti que era envolvida com o Candomblé, e Sergio, um pastor evangélico que ela se tornou depois de uma experiência de quase morte”. Medeiros nos conta sobre novos trabalhos que está desenvolvendo, incluindo um projeto em que se submete a um processo de hormonização – que tem trazido mudanças para seu corpo – “é um projeto que vai falar de biopolítica, vai trazer essas questões contemporâneas relacionadas à sexualidade, ao corpo, à autonomia corporal”. Assista à entrevista.

Abertura | “Lugar”, mostra individual de Fábia Schnoor

(Rio de Janeiro, RJ) Na exposição “Lugar”, a artista carioca apresenta duas série de desenhos em nanquim com trabalhos inéditos. Na série “Lugar”, que dá nome à exposição, a artista desenha o instante com o escorregar da gota de nanquim que traça seu trajeto, construindo mapas, plantas baixas e lugares de memória. Já em “Cartobiografias”, por meio de uma escrita automática, Fábia registra o fluxo do pensamento no gesto e procura reconstruir uma memória ou um tempo passado.

Gustavo Speridião traz os movimentos sociais à tona em mostra individual

(Rio de Janeiro, RJ) Esta série de lonas é um desenvolvimento do trabalho de Gustavo Speridião, que tem como foco a pintura e a política, “explorar o plano pictórico e questões políticas, utilizando tinta, carvão e colagens (palavras, abstrações e cartazes)”. O artista fez uma colagem nas lonas com material gráfico coletado entre 2007 e 2014 em vários países, como Brasil, Bolívia, Portugal, Espanha, México, França, Grécia, Rússia e Turquia. “Apresentarei obras cujos temas refletem o processo revolucionário mundial e outras que, não se ligando à este processo pelo tema, estão profundamente tomadas e coloridas pela emnova consciência que dele surgiu. Utilizo o mesmo plano para campos aparentemente distintos; abstrações panfletárias, pinturas escritas e panfletos abstratos”.

O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA