Eduardo Berliner, Marcone Moreira e Thiago Rocha Pitta em cartaz com “E se quebrarem as lentes empoeiradas?”

(São Paulo, SP)

O Instituto Tomie Ohtake retoma o seu programa Arte Atual, após ter realizado duas edições entre 2013 e 2014. Para a edição deste ano,“E se quebrarem as lentes empoeiradas?”, trabalhos de Eduardo Berliner, Marcone Moreira e Thiago Rocha Pitta são apresentados. Elaborado pelo Núcleo de Pesquisa e Curadoria, o programa foi concebido para promover exposições coletivas de artistas emergentes no instituto.

Com curadoria do Núcleo de Pesquisa e Curadoria do Instituto Tomie Ohtake, “E se quebrarem as lentes empoeiradas?” busca subversões dos nossos saberes recorrentes, que são baseados num entendimento racional e científico. Para a curadoria, “quebrar as lentes” significa, a grosso modo, duvidar desses entendimentos por meio de gestos que coloquem à prova nossas supostas certezas. “Diante das certezas, dispositivos técnicos e sistemas lógicos que pautam nossa apreensão do mundo, a exposição reúne artistas que propões alternativas às formas estabelecidas ao abrirem-se a elementos como: sabedoria popular, a transmissão oral, a consciências voltada a aspectos cósmicos e da natureza, a práxis direcionada pela intuição e pelo acaso”, informa o texto curatorial.

A exposição reúne três artistas que buscam desconstruir as convicções científicas “quebrando” suas próprias lentes. “Eduardo Berliner atribui às imagens, aos suportes e à fatura artística escolhas e resistências , por insistência intuitiva e resiliente, deixando-lhes direcional tanto o discurso quanto à forma dos trabalhos. Marcone Moreira, por procedimentos de apropriação e observação etnográfica, compara modelos de circulação de produtos e pessoas, assim como de ocupação do território. Thiago Rocha Pitta, por aderências e sinergia com o teutônico e mutável da natureza, restabelece seu protagonismo e devir próprio da paisagem, normalmente tida como meio indiferente e passivo”, aponta o texto curatorial.

“E se quebrarem as lentes empoeiradas?”, coletiva com Eduardo Berliner, Marcone Moreira e Thiago Rocha Pitta
Curadoria do Núcleo de Pesquisa e Curadoria do Instituto Tomie Ohtake
Em cartaz até 10 de maio
Entrada franca

Instituto Tomie Ohtake
Avenida Faria Lima, 201 – Pinheiros
Funcionamento: de terça a domingo, das 11h às 20h
T: +55 11 2245-1900



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA