Daily Archives: 22 de maio de 2015

0

Entrevistas com indicados | Assista aos três novos vídeos exclusivos lançados esta semana

Lançamos esta semana três vídeos novos com entrevistas exclusivas concedidas por artistas indicados para o Prêmio. Arthur Scovino fala de sua obra que se manifesta principalmente através de performance e fotografia, e conta sobre uma série de performance pensada para ser feita em borboletários. Gisele Camargo fala de seu recente trabalho com colagens – que desenvolve em paralelo ao seu trabalho de pintora – em que utiliza fotografias e cadernos antigos. Já Juan Parada, indicado este ano pela primeira vez, fala da sua coleção de suculentas e do seu trabalho com plantas e cerâmica “é uma apreensão do que acontece no natural, só que eu encapsulo isso naquele objeto que eu criei e viro de ponta cabeça”. Assista às entrevistas.






MAM-Rio | Agenda completa

O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro apresenta ao longo desta semana quatro mostras em cartaz, dentre elas “O Fim da Matéria”, de Damián Ortega com uma instalação inédita onde um grande cubo de isopor é transformado por um grupo de escultores anônimos durante o período da exposição. As esculturas funcionam como um inventário da história da escultura. Imagens de alguma maneira no repertório, inconsciente coletivo ou imaginário do homem, em que a história da humanidade vira alegoria. Também em exibição, “Ver e ser visto” é uma exposição que olha as coleções do Museu tendo como princípio norteador a ideia de que todo trabalho de arte é construído em torno do vazio: é nesta espécie de contorno de um espaço aberto que “a coisa” deve advir. Veja a programação do Museu, que inclui atividades do núcleo de educação e arte que atendem a toda a família.






0

Entrevista com artistas indicados | Conheça Juan Parada

Indicado ao PIPA este ano pela primeira vez, Juan Parada trabalha com instalações, esculturas, intervenções urbanas e inserções espaciais. O artista desenvolve pesquisas sobre tridimensionalidade, relações de tempo-espaço e diálogos arquitetônicos. Nesta entrevista – concedida com exclusividade para o PIPA – Parada fala da sua coleção de suculentas, do seu trabalho com plantas e cerâmica “é uma apreensão do que acontece no natural, só que eu encapsulo isso naquele objeto que eu criei e viro de ponta cabeça.” Assista ao vídeo, saiba mais e veja o ateliê do artista.






Final de semana com diversas atrações espalhadas por galerias do Rio de Janeiro

Somente hoje (sexta, dia 22) e amanhã, o Rio de Janeiro recebe uma programação especial com diversas atrações espalhadas por galerias da cidade. Dentre os eventos destacamos hoje as aberturas das mostras “Uma diva, uma louca, uma macumbeira, meu deus ela é demais!”, individual de Camila Soato, e “Predileção pela Alegoria”, individual de André Griffo, ambas em Copacabana. Amanhã é a vez de Gustavo Speridião abrir sua individual “Lona”, na Gávea. Ainda na Gávea, Chiara Banfi se apresenta com o grupo “Dissonâmbulos”, composto pela artista e pelos músicos Domenico Lancellotti e Bruno di Lullo. Os quatro eventos são parte do CIGA, Circuito Integrado de Galerias de Arte.






André Griffo apresenta nova individual “Predileção pela Alegoria”

(Rio de Janeiro, RJ) Como parte do Circuito Integrado de Galerias de Arte, André Griffo apresenta nova exposição, com texto assinado por Ivair Reinaldim. “Mais do que o título de uma das pinturas apresentadas, podemos argumentar que “Predileção pela Alegoria” sintetiza a atitude artística de André Griffo em relação ao conjunto de trabalhos que vem desenvolvendo. Embasado na noção e na prática alegórica, Griffo não deixa de explicitar sua afinidade eletiva por esse conceito-chave, importante porta de entrada para a compreensão de alguns de seus procedimentos bem como de certos elementos visuais presentes em sua produção.”






Chiara Banfi apresenta show de “Dissonâmbulos”

(Rio de Janeiro, RJ) Somente amanhã em sua mostra individual “Fiume Achates”, a artista realiza um show com os músicos Domenico Lancellotti e Bruno de Lullo. Juntos eles formam a banda “Dissonambulos” que tem como principal objetivo explorar as diversas sonoridades que saem das esculturas sonoras criadas pela artista, permeando a apresentação com algumas canções que surgem e desaparecem nas ondas do som.






Carla Zaccagnini realiza leitura sobre pesquisa em andamento

(Malmö, Suécia) O livro “Brasil: País do Futuro” exalta a notória imensidão do território do país e seus recursos naturais, mas também enaltece as supostas características de seus habitantes que, ‘diante da deprimente e imperceptível influência do tempo, desenvolvem menos força impulsiva, menor veemência, menor dinamismo…’. Essa falta de potência criada pelo calor parece estar onde a promessa da ‘futura civilização’ vive, onde a humanidade viverá em paz por uma dissolução natural de forças, e não por uma resolução forçada de injustiças. A artista Carla Zaccagnini apresenta neste fim de semana pesquisa em andamento sobre o livro e o contexto em que foi publicado em leitura especial.






Abertura | “Lona”, individual de Gustavo Speridião

(Rio de Janeiro, RJ) O título da exposição é extraído do suporte utilizado, lona de algodão, e as pinturas estarão expostas sem chassi, presas diretamente na parede, “em uma montagem simples”, conta o artista. Esta série de lonas é um desenvolvimento do trabalho de Gustavo Speridião, que tem como foco a pintura e a política, “explorar o plano pictórico e questões políticas, utilizando tinta, carvão e colagens (palavras, abstrações e cartazes)”. O artista fez uma colagem nas lonas com material gráfico coletado entre 2007 e 2014 em vários países, como Brasil, Bolívia, Portugal, Espanha, México, França, Grécia, Rússia e Turquia. “São cartazes de rua, políticos, de movimentos sociais”. “Este material ilustra o início da crise econômica mundial de 2008, e seus desdobramentos políticos”, diz.






“Odisseia” de Homero inspira nova individual de Afonso Tostes

(Rio de Janeiro, RJ) Em seu mais novo trabalho, “Das Amarras”, Afonso Tostes mostra nove peças que tratam do céu, do mar e de destroços encontrados nas praias. O próprio artista se pergunta: “estes destroços que flutuam pelos oceanos podem ser dos barcos gregos? Das naus negreiras? De pescadores atropelados por cargueiros? Entre o céu e o mar cabe muita pergunta, e vou tentar jogar com todas. Que os Deuses gregos e Orixás que sempre estão em todos os lugares iluminem as buscas”.






O PIPA respeita a liberdade de expressão, e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site odem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos.
Copyright © Instituto PIPA