Residências artísticas | Mapeamento nacional e relação com o Prêmio

Residência artística como parte do Prêmio

A residência artística sempre fez parte do prêmio dado ao vencedor do PIPA. De 2010 a 2012 os vencedores participavam do programa da Gasworks, em Londres. Foram enviados para a Inglaterra Renata Lucas, Tatiana Blass e Marcius Galan, vencedores do PIPA em 2010, 11 e 12, respectivamente. A partir de 2013 os vencedores passaram a participar do programa da Residency Unlimited, em Nova York, EUA. Cadu, vencedor do PIPA 2013 foi o primeiro artista enviado pelo Prêmio para a RU, e esta semana Alice Miceli, vencedora da edição passada, chega à Nova York.

Em 2014 incluimos a residência em território nacional como parte do prêmio pela vitória da categoria PIPA Online. O programa escolhido foi o do Instituto Sacatar, na Ilha de Itaparica, Salvador, Bahia, onde Paulo Nimer Pjota (vencedor do PIPA Online 2014) está neste momento.

Mapeamento da Funarte

A Fundação Nacional de Artes – Funarte lançou, em novembro passado, uma pesquisa inédita sobre residências artísticas no país. Organizada pelo Centro de Programas Integrados (Cepin) da Funarte, a publicação contém um relatório estatístico detalhado sobre essa modalidade de produção cultural, que vem registrando grande crescimento entre artistas e gestores nos últimos anos.

O Mapeamento de Residências Artísticas no Brasil foi produzido a partir de uma pesquisa de sondagem sistematizada de forma a oferecer informações sobre onde estão localizadas, como funcionam, como se financiam e quem são os envolvidos e beneficiados pelas atividades de residência. Outra preocupação foi conhecer quais os segmentos artísticos contemplados e quais os processos e produtos resultantes das experiências.

A publicação conta, ainda, dentre outros, com um artigo de Amilcar Packer, artista visual, curador e um dos responsáveis pelo programa de residências Capacete, realizado no Rio de Janeiro. Nele, Packer oferece subsídios conceituais e teóricos em torno das residências e suas implicações no contexto cultural e social. “Quem fala em residência artística fala em deslocamento. Os programas de residência artística, em sua gênese, propõem a mobilidade dos profissionais das artes como meio de criar condições propícias para a pesquisa em con- textos estrangeiros, promovendo literalmente a desterritorialização como condição básica da criação.” – comenta Packer em um trecho de teu texto.

Há também entrevistas com gestores de algumas instituições, como Augusto Albuquerque, do Instituto Sacatar. “A importância do programa do Sacatar reside em grande parte pelo seu caráter multidisciplinar, que proporciona a artistas de todas as áreas criativas, a chance de participar de uma residência artística – oportunidade em maior parte destinada aos artistas visuais. Além desse fator, reconhecemos o papel de “incubadora” de novas idéias, estéticas e o papel de catalisador criativo exercido pelas residências ao oferecer aos seus artistas tempo e condições para que eles possam dedicar-se à sua produção artística.” – diz Augusto em trecho da entrevista.

Veja a versão digital do Mapeamento de Residências Artísticas no Brasil, da Funarte.



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA