“Ações, estratégias e situações…” propõe novo olhar aos diferentes tipos de acervo do MAM-Rio

(Rio de Janeiro, RJ)

O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro recebe até maio a mostra coletiva “Ações, estratégias e situações…”, com curadoria de Marta Mestre e trabalho do vencedor do PIPA 2012, Marcius Galan.

Adaptado do texto da curadora, Marta Mestre:
“Ações, estratégias e situações…” reúne histórias da arte brasileira e estrangeira que, segundo o artista argentino Luis Camnitzer, devem ser medidas com relógios diferentes, embora tenham em comum a mesma emergência relativamente à modificação dos lugares tradicionais da arte.

Há, nas coleções do MAM-Rio, um foco na produção de artistas que reinterpretaram o lugar da obra (a sua presença artística), no qual o objeto cede a sua relevância à linguagem ou à experiência. Esta exposição dirige-se a essas problemáticas sem pretender cunhar o termo “conceitual” aos artistas aqui reunidos, mas reunindo diversos materiais que questionam algumas noções aceitas e tradicionais do campo da arte, especialmente até aos anos 60, tais como objeto, instituição, circuito, recepção e história.

O horizonte temporal vai desde a poesia experimental e concreta no Brasil (“Décio Pignatari, Cloaca”, 1957), momento fértil da flutuação visual do significado e do significante, até ao contrato de Marcius Galan (“Obra de arte em 5 vias”, 2012) acerca da composição do sistema de arte e a sua análise crítica. Neste recorte foram privilegiadas as “ações, estratégias e situações” utilizadas na elaboração das obras, o que reuniu dois tipos de objetos que, na vida da instituição, ainda vêm sendo estudados e tratados de forma separada: obras de arte e documentos.

A proposta é reforçar as diversas formas de enunciação da arte para além dos suportes tradicionais (pintura, escultura, etc.), testemunhando o comprometimento do MAM com propostas experimentais a partir dos anos 60 (Salão Bússola, Sala Experimental), e o situando na virada conceitual da arte dessas décadas. Um momento de contributos expressivos para a arte dos dias de hoje, em que os artistas retiraram a ênfase no objeto físico como lugar privilegiado da relação com o espectador, elevaram a concepção da obra de arte acima de sua execução material e promoveram o seu caráter desmaterializado, precário e temporário.
Um dado importante da produção aqui reunida é a atenção à narrativa da experiência e à reescrita da história. Muitos artistas começam a fazer uso expressivo do “documento” que já não é mais algo exterior ao acontecimento histórico, mas uma matéria passível de ser modificada. O artista é um novo “historiador” atuando por meio de uma crítica institucional, como pela sua capacidade de questionar e potencializar as formas de registro.

As fronteiras entre obra e documento se friccionam nos materiais presentes nesta exposição: poema impresso, livro, fotografia, fotocópia, cartaz, documentação, contrato, proposição e maquete.
“Ações, estratégias e situações…” é convite a olhar os diferentes tipos de acervo do museu, sem hierarquias nem prevalências, tratados num mesmo plano, para uma conversa comum.

“Ações, estratégias e situações…”, com Marcius Galan
Curadoria de Marta Mestre
Em cartaz até 3 de maio

Museu de Arte Moderna Rio de Janeiro
Av Infante Dom Henrique 85, Parque do Flamengo 20021-140 Rio de Janeiro RJ Brasil.
T +55 (21) 3883 5600
www.mamrio.org.br facebook/museudeartemodernarj
twitter/mam_rio

Horários
ter – sex 12h – 18h | sáb, dom e feriados 12h – 19h
A bilheteria fecha 30 min antes do término do horário de visitação.

Ingressos
Exposições R$12,00 (inclui uma sessão gratuita na cinemateca válida no dia da emissão do ingresso).
Maiores de 60 anos e estudantes maiores de 12 anos R$6,00. Domingos ingresso família até 5 pessoas R$12,00.
Cinemateca R$6,00
Maiores de 60 anos e estudantes maiores de 12 anos R$3,00. GRATUIDADES Amigos do l, crianças até 12 anos e funcionários das empresas mantenedoras e parceiras (mediante apresentação de crachá, com direito a um acompanhante) e quartas após às 15h.

Como chegar Referência: O Museu de Arte Moderna está localizado entre o Monumento aos Pracinhas e o Aeroporto Santos Dumont

Ônibus (linhas e pontos)
Da Zona Sul >> Via Parque do Flamengo: 472 (Leme), 438(Leblon),154 (Ipanema), 401 (Flamengo), 422 (Cosme Velho). Ponto na Avenida Beira Mar em frente à passarela.
Via Aterro: 121, 125 e 127 (Copacabana). Ponto na Avenida Presidente Antônio Carlos em frente ao Consulado da França.
Da Zona Norte >> 422 (Tijuca), 472 (São Cristóvão), 438 (Vila Isabel),401 (Rio Comprido). Ponto na Avenida Presidente Wilson, em frente à Academia Brasileira de Letras.
Da Zona Oeste >> Frescão Taquara-Castelo (via Zona Sul). Ponto mais próximo localiza-se na Avenida Presidente Wilson, em frente à Academia Brasileira de Letras.
Metrô: Estação Cinelândia

Acesso a deficientes Cadeiras de rodas, rampas de acesso até os salões de exposição, elevadores e sanitários especiais.

Estacionamento Pago no local 7h – 22h

Para mais informações acesse http://mamrio.org.br.



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA