Últimos dias | “Esforço Repetitivo”, mostra por João Angelini

(São Paulo, SP)

A Galeria Leme recebe “Esforço Repetitivo”, mostra individual do artista João Angelini, membro do Grupo EmpreZa com curadoria de Paulo Miyada.

Os trabalhos de João Angelini aqui reunidos, todos de alguma forma tributários de princípios da animação, navegam entre esses polos. Em “L.E.R.”, a rotina burocrática do protagonista carimbador ganha, pela justaposição de centenas de fotografias de longa exposição, caráter frenético, maquínico e surreal. Figura-se como imagem do trabalho repetitivo e alienado, construída por uma técnica também repetitiva, mas distante de qualquer automatismo: sem pós-produção, o vídeo é herdeiro direto da animação tradicional, com o cuidado quase coreográfico no registro de cada frame em que o ator se move em velocidades diferentes corpo e cabeça. Assim, repetições criativas e laborais convergem em uma única narrativa.

Do outro lado, noutra sala da exposição, “Linhas” (colaboração com Luciana Paiva) emprega princípios técnicos similares na feitura de uma singela alegoria da “anima” que o desenho animado empresta aos traços. A ilusão que a sucessão de quadros cria – de que riscos estáticos estão vivos e em movimento – torna-se quase palpável quando se inscreve nas mãos de um homem e uma mulher que se encontram, convergem e se afastam em uma dança miniaturizada que poderia nunca acabar. Assim, repetição, invenção e encontro nivelam-se em um só plano, como se nunca precisassem ter sido pensados em separado.

Entre esses dois vídeos, o conjunto de trabalhos joga com as possibilidades em aberto, ora remetendo ao duro do trabalho, ora ao encanto do gesto em movimento. Sinestésica, a nova instalação “Funk de 4” faz da mudança ritmada de canais em quatro televisores antigos fora de sintonia o princípio de um “batidão” que reconhecemos aos poucos, quase descrentes que as imagens e aparelhos que em tudo remetem a obsolescência e ruído possam afinar-se em uma melodia reconhecível. Não há propriamente animação, mas o jogo entre continuidade e corte que esta, mais até que o cinema, nos ensinou a perceber.

Ao lado, em duas bases, os trabalhos “Moeda Fria: R$ 1,00” e “Nota Fria: R$ 100,00” empregam outra sinestesia para fazer a grana queimar infinita e assepticamente. O grande e o pequeno dinheiro aparecem igualmente machucados pelas chamas e como se queimando ainda. Agora, é a nossa habilidade de interpretar informações em planos diferentes como unas (algo tão praticado enquanto assistíamos desenhos animados de técnica tradicional) que consuma a ilusão do fogo que nunca termina de consumir seu substrato. Essa é a mesma capacidade de se enganar que emprestamos ao trabalho seguinte, “Corda Gota”, levados a crer que há água onde não há, que algo efetivamente está acontecendo diante de nós.

Ao fim, de volta à sala menor da exposição, encontra-se “Molécula”, que nos devolve à delicada possibilidade de encantar-se com o que – racionalmente – sabemos ser apenas linhas fotografadas e montadas uma depois da outra.

“Esforço Repetitivo”, mostra individual de João Angelini
Curadoria de Paulo Miyada
Em cartaz até 24 de janeiro de 2015

Galeria Leme
Av. Valdemar Ferreira, 130
Funcionamento: de Segunda a Sexta, das 10h às 19h e aos Sábados, das 10h às 17h
T: (55 11) 3093-8184
info@galerialeme.com



O PIPA respeita a liberdade de expressão, e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site odem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos.
Copyright © Instituto PIPA