Daily Archives: 28 de junho de 2014

Últimos dias | “Ponto Final”, mostra individual de Maurício Ianês

(São Paulo, SP) A exposição reúne várias obras de Ianês em que linguagens são amplamente exploradas. Em “Império”, por exmeplo, o artista cita o filósofo austríaco Ludwig Wittgenstein e constrói uma grande escultura em madeira que repete uma das frase retiradas por ele do “Tractatus logico-philosophicus”, publicado por Wittgenstein em 1921. No contexto dessa exposição, “Die Grenzen meiner Sprache bedeuten die Grenzen meiner Welt” (Os limites da minha linguagem significam os limites do meu mundo) sugere que o limite da arte se restringe àquilo possivel de ser expresso por meio da linguagem, ou seja, possivel de ser imaginado.

Últimos dias | “Matriz e Descontrução”, coletiva com curadoria de Luisa Duarte

(Rio de Janeiro, RJ) Com artistas de diferentes gerações e obras, como Ana Holck, Luiz Zerbini e Waltercio Caldas, a coletiva “Matriz e Desconstrução” se encerrará em breve. “Há obras mais racionais e outras que mostram a brutalidade da vida”, comenta a curadora Luisa Duarte. A mostra reúne trabalhos cuja matriz construtiva é nítida e outros nos quais a narrativa emerge – obras diversas mas pertencentes a história da arte brasileira dos últimos 50 anos.

Últimos dias | Roesler Hotel #26

(São Paulo, SP) A 26a. edição do traz recorte do historiador da arte Matthieu Poirier, co-curador da mostra Dynamo, do Grand Palais. Com a mostra, Poirier interroga a própria natureza da abstração, em sua acepção como a morte da figura, pelo viés da luz, que tem o poder de criar materialidade e presença visuais, como também de dissimulá-las. Em suas palavras, “a luz não é mais considerada uma ferramenta para compreender ou ‘fazer sentido’. Em vez disso, ela dissolve a realidade, expandindo os limites da visão”.

Lourival Cuquinha apresenta sua arte financeira em individual

(Rio de Janeiro, RJ) Em “Territórios e Capitais: extinções”, Lourival Cuquinha explora as fronteiras sempre imprecisas entre arte e política, arte e mercado, arte e nacionalismo, arte e território, arte e valor. “Tanto o valor do trabalho quanto o valor de mercado; o valor ideológico das bandeiras e dos territórios; o valor das peças e o valor agregado das obras de arte”, explica o artista.

O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA