Clipping: Tatiana Blass na lista dos 50 da Art+Auction


Os próximos artistas mais colecionáveis – Quem, entre as gerações mais jovens terão o poder de permanência para dominar o mercado no longo prazo?

Esse é o sub-título da matéria “50 abaixo de 50” em que a revista Art+Auction publica no mês de Junho de 2013, com uma lista dos 50 artistas com idade inferior a 50 anos que eles consideram mais colecionáveis.
Segundo a revista, a lista não é composta de artistas “emergentes”. Muitos dos artistas são conhecidos por vários anos de exposições e prêmios. A grande maioria está na faixa dos 30 anos e em sua maioria são pintores, o que eles acreditam ser justificado por dois motivos. Primeiro, por um verdadeiro ressurgimento da pintura não representacional em que os artistas com menos de 50 reexaminam essa busca modernista. Segundo, porque os colecionadores preferem adquirir pinturas por sua tradição e por ser mais fácil para exposição e conservação.
A diversidade também chama atenção, tanto do ponto de vista geográfico como das práticas individuais dos artistas. A linguagem da arte contemporânea é global, e os colecionadores estão cada vez mais interessados em ver diferenças nos diálogos. Nos dias de hoje, artistas nascidos no Oriente Médio vivem na Europa e vendem para colecionadores na Ásia e na América, e a lista reflete esse internacionalismo geral. Observa-se também que os artistas transitam por diversas mídias, querendo ser criadores universais.Fotógrafos que fazem esculturas, escultores fazem a ponte entre duas e tres dimensões, e pintores fazem filmes. A inovação está em todo lugar.

Entre os 50 artistas está Tatiana Blass, escolhida vencedora do PIPA 2011 pelo Júri de Premiação, e também eleita pelos visitantes do MAM-Rio como vencedora do PIPA Voto Popular Exposição 2011.

No texto sobre Tatiana Blass a revista escreve:
“A versátil artista brasileira de 34 anos tem um dom para o dramático. Um de seus mais famosos trabalhos, Luz que cega- sentado, 2011, com o qual ela venceu o Prêmio PIPA daquele ano, é um homem de cera sentado com um foco de luz apontado para suas costas. O feixe de luz concentrado vai derretendo a figura lentamente, mostrando a coluna vertebral fundida num bronze brilhante. A cera também apareceu em outro trabalho de TatianaMetade da fala no chão, uma performance de 2010 para a Bienal de São Paulo, na qual um pianista toca Chopin enquanto uma cera é despejada no piano de cauda gradualmente abafando – e, finalmente, frustrando – seus esforços. Instrumentos menores foram disputados por US$25.000 na feira de arte Art Basel Miami Beach no ano passado no estande da Galeria Millan, de São Paulo, a qual também apresentou  sua série de pinturas “Acidente”, com imagem-plano-distorcidos. Colecionadores nacionais e estrangeiros apreciam o toque habilmente devastador de Blass, de acordo com o proprietário da galeria André Millan. Pinturas, vídeos e fotos variam de US$3.000 a US$25.000; esculturas vão de US$20.000 a US$75.000. Blass terá um ano de grande destaque com suas primeiras exposições individuais nos EUA no Museu de Arte Contemporânea de Denver, com abetura no dia 16 de julho, e na sua nova galeria, Johannes Vogt Gallery de Nova York, em setembro”

O outro artista brasileiro que consta da lista é Ernesto Neto, que foi membro do Comitê de Indicação do PIPA 2010.

 

Visite a página de Tatiana Blass para ver mais trabalhos e vídeos com a artista.



O PIPA respeita a liberdade de expressão e adverte que algumas imagens de trabalhos publicadas nesse site podem ser consideradas inadequadas para menores de 18 anos. Copyright © Instituto PIPA